A Orquestra

Fundada em 1997 pelos músicos mineiros Renato Almeida e Rosiane Reis, a ONG Orquestra Jovem Gerais é uma iniciativa voltada para a promoção do desenvolvimento humano por meio do acesso à arte, cultura e educação. Localizado na região metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais, o projeto oferece oficinas de instrumentos de cordas (violino, viola, violoncelo e contrabaixo), sopros (flauta transversal, fagote, oboé e clarinete) e percussão a crianças e jovens de comunidades de baixa renda e em situação de vulnerabilidade social. A partir da educação musical, a Orquestra Jovem Gerais busca a inserção destes jovens na sociedade, despertando o talento artístico e gerando oportunidades culturais e profissionais. Diante deste cenário, o projeto pretende contribuir para a formação cidadã dos alunos e transformação da realidade e justiça social.

Atualmente, o projeto atende 250 crianças e adolescentes que, além das aulas de música, contam com acompanhamento psicopedagógico. Desde a sua fundação, já passaram pela ONG 1500 alunos. A Orquestra tem caráter permanente, ou seja, procura atualizar seu contato com a comunidade por meio de frequentes ações de sensibilização através de concertos e recitais. O projeto também estabelece parcerias com equipamentos sociais e culturais para a divulgação das oficinas, como associações e escolas públicas.

As transformações promovidas a partir das ações da ONG, inicialmente batizada de Orquestra Jovem de Contagem, permitiram o amadurecimento e expansão do projeto, bem como sua distinção no meio musical, conduz indo a Orquestra por novos tempos e uma importante fase de transição. Desde a estrutura pedagógica de ensino até as performances nas apresentações, a Orquestra realiza seu trabalho com públicos de diferentes faixas etárias, classes sociais e realidades culturais, que normalmente não acessam esse estilo musical. Como forma de expressar e materializar essas transformações e ao mesmo tempo valorizar o projeto pelo que o distingue, a ONG mudou de nome, tornou-se Orquestra Jovem Gerais.

O nome Orquestra Jovem Gerais representa um olhar para dentro, para o sertão que está no interior de Minas, e dentro de seus habitantes; mas também para o sertão de suas grandes cidades – como é Contagem – sertão das favelas, dos morros, das vilas e aglomerados. A Orquestra Jovem Gerais representa a importância do acesso democrático à arte e reconhece sua capacidade de unir os públicos mais diversos. É uma maneira de mostrar ao mundo o que a Cultura Mineira tem, sobretudo, através de ações que promovam a inclusão social, o combate à pobreza e os direitos da infância e da juventude.

Missão

Promover a inclusão social por meio da música, oferecendo oficinas de instrumentos de cordas e sopros para crianças e adolescentes de áreas de vulnerabilidade social da região metropolitana de Belo Horizonte, MG.

Visão

Ampliar a atuação da organização para cidades da região central de Minas Gerais, de maneira sustentável.

Valores

Ética
Inovação
Sustentabilidade
Espírito jovem
Comprometimento
Paixão pela música
Coletividade

Músicos da Ong garantem animação e boa música no concerto

A Orquestra Jovem Gerais (OJG) promove novos destinos para a Turnê Minha Pátria: Goiânia (GO), Brasília (DF), Araxá (MG) e Campos Altos (MG). Todos com entrada gratuita e com repertório brasileiro, os músicos prometem contagiar a todos com boa música e charme mineiro. A Turnê ocorrerá entre os dias 26 de junho até 03 de julho.

Como continuação da proposta de levar a música brasileira aos amigos latinos, a Orquestra Jovem Gerais decidiu prolongar o repertório da Turnê América do Sul 2017 e dar o gostinho do concerto aos brasileiros também. A escolha de músicas feitas por compositores brasileiros como César Guerra-Peixe, Heitor Villa-Lobos, Tom Jobim, Pixinguinha e obras que fizeram sucesso na voz de grandes intérpretes, como Elis Regina, foram selecionadas visando representar cada canto do país.

“É um privilégio maravilhoso que a Orquestra está tendo de conhecer a diversidade cultural. Estar presente e vivenciar um pouco desta cultura ajuda a reconhecer as variadas culturas como uma identidade nacional. É valorizar a rica diversidade que forma o patrimônio brasileiro, a diversidade étnica e a cultura formam a sociedade brasileira.” disse o maestro Renato Pedroso.

Além de Goiânia, a segunda edição da Turnê Minha Pátria vai passar pelas cidades de Campos Altos (MG), Araxá (MG), Caldas Novas (GO) e Brasília. Em março deste ano, a Turnê passou pelos estados da Bahia, Rio de Janeiro e pela cidade Entre Rios de Minas, localizada no interior de Minas Gerais. Este é um projeto que consiste na realização de um intercâmbio cultural e musical em todas as regiões do Brasil. Cerca de 35 membros da OJG participam de cada turnê. Concertos, participações em eventos, visitas a outras entidades e city tours fazem parte da programação para com os jovens atendidos.

Turnês e prêmios pelo mundo

Ao longo dos 20 anos da Orquestra Jovem Gerais, 1.500 alunos passaram pela ONG. Desde o ano 2000, muitos jovens já participaram de turnês internacionais e nacionais e já se apresentaram em vários países como EUA, Inglaterra, Espanha, Alemanha, França, Itália e Japão. A Orquestra Jovem Gerais já obteve várias premiações, como o “Musicistas sem Fronteiras”, da Associação Internacional de Voluntariado da Itália em 2004, “Título de Honra ao Mérito da Câmara Municipal de Contagem” em 1999, “Cidadania Cultural”, da Secretaria de Educação, Esportes e Cultura de Contagem em 2005 e Primeiro lugar no Folklore Ensemble/AICE Viena (Áustria) em 2008.

Cerca de 250 mil espectadores já assistiram aos concertos de música orquestral erudita e popular da OJG, que já somam mais de 400 apresentações. A instituição desenvolve arte, cultura e educação na vida de seus alunos, que são moradores de localidades em situação de vulnerabilidade social da Região Metropolitana de Belo Horizonte. A obra social foi idealizada por Renato Almeida e Rosiane Reis, atuais coordenadores da entidade.

 

 

CONCERTO ORQUESTRA JOVEM GERAIS – TURNÊ MINHA PÁTRIA

Campos Altos

Onde: Clube Social de Campos Altos

Rua: Doutor Getúlio Portela, 30 – Centro – Campos Altos/ MG

Quando: 26 de junho, às 20h

Entrada gratuita – Retirada na bilheteria

 

Araxá

Onde: Tauá Grande Hotel de Araxá

Rua: Águas do Araxá, s/n – Barreiro – Araxá/ MG

Quando: 27 de junho, às 20h

Entrada gratuita – Retirada na bilheteria

 

Goiânia

Onde: Espaço Sonhus

Rua: Vinte e Um, 10 – St. Central, Goiânia – Goiás

Quando: 29 de junho, às 20h

Entrada gratuita – Retirada na bilheteria

 

Brasília

Onde: Casa Thomas Jefferson

Rua: Setor de Grandes Áreas Norte, 606 – Asa Norte – Brasília/ DF

Quando: 02 de julho, às 19h

Entrada gratuita – Retirada na bilheteria

 

Facebook 

Instagram

IMG_8005No sábado, 09 de junho, aconteceu o Projeto Pré-vestibular na sede da Orquestra Jovem Gerais. Quatro músicos estudantes, formados ou recém-formados foram convidados a compartilhar suas experiências acadêmicas aos vestibulandos da OJG.
A manhã foi dividida em duas partes. Na primeira, todos os convidados se reuniram com os alunos e tiveram um momento aberto de discussão. Assim, cada convidado contou suas experiências durante a graduação, como foi o processo de ingresso à faculdade, escolha do curso, expectativas que foram supridas e/ou superadas, algumas situações engraçadas e relevantes e dicas sobre as etapas do vestibular: a prova teórica e prática. Já no segundo momento, os convidados fizeram uma espécie de masterclass com os alunos para avaliar e comentar como cada músico está no processo de estudo da parte prática.
IMG_8019
A Orquestra Jovem Gerais oferece aulas teóricas direcionadas ao vestibular da Universidade Federal de Minhas Gerais e Universidade do Estado de Minas Gerais aos alunos interessados em cursar a graduação em Música. O projeto Pré-vestibular visou a complementação de conteúdo partilhado e preparação aos jovens músicos.
Visita a PMMG (2)A quarta-feira, 06 de junho, começou especial para a aluna Clara. Em convite do professor Eustáquio, a aluna visitou a Academia da Polícia Militar de Minas Gerais, no Prado, e pôde conhecer a Banda e a Orquestra Sinfônica da Polícia Militar de MG. Em julho, a aluna vai ter aulas do instrumento tímpano e vão ser ministradas pelo sargento Átila Leotério, músico da Orquestra Sinfônica da PMMG.
Foi pensando no futuro da percussão da Orquestra Jovem Gerais que Eustáquio sugeriu as aulas à aluna.

“A Clara demonstrou interesse no instrumento e tem muita capacidade. Como a OJG ainda não tem tímpanista, ela vai fazendo as aulas para, quando precisar, já vai estar preparada” disse Eustáquio.

A manhã na PMMG foi de descobertas. A aluna viu o tímpano pela primeira vez e contou sua impressão: “Eu achava que o tímpano era menor e ele é muito grande! Tem um som grave e outro agudo e um lugar para afinar. Foi bem legal.” concluiu.

Agenda

<< Jun 2018 >>
DSTQQSS
27 28 29 30 31 1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
Não há eventos.