A Orquestra

Fundada em 1997 pelos músicos mineiros Renato Almeida e Rosiane Reis, a ONG Orquestra Jovem Gerais é uma iniciativa voltada para a promoção do desenvolvimento humano por meio do acesso à arte, cultura e educação. Localizado na região metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais, o projeto oferece oficinas de instrumentos de cordas (violino, viola, violoncelo e contrabaixo), sopros (flauta transversal, fagote, oboé e clarinete) e percussão a crianças e jovens de comunidades de baixa renda e em situação de vulnerabilidade social. A partir da educação musical, a Orquestra Jovem Gerais busca a inserção destes jovens na sociedade, despertando o talento artístico e gerando oportunidades culturais e profissionais. Diante deste cenário, o projeto pretende contribuir para a formação cidadã dos alunos e transformação da realidade e justiça social.

Atualmente, o projeto atende 250 crianças e adolescentes que, além das aulas de música, contam com acompanhamento psicopedagógico. Desde a sua fundação, já passaram pela ONG 1500 alunos. A Orquestra tem caráter permanente, ou seja, procura atualizar seu contato com a comunidade por meio de frequentes ações de sensibilização através de concertos e recitais. O projeto também estabelece parcerias com equipamentos sociais e culturais para a divulgação das oficinas, como associações e escolas públicas.

As transformações promovidas a partir das ações da ONG, inicialmente batizada de Orquestra Jovem de Contagem, permitiram o amadurecimento e expansão do projeto, bem como sua distinção no meio musical, conduz indo a Orquestra por novos tempos e uma importante fase de transição. Desde a estrutura pedagógica de ensino até as performances nas apresentações, a Orquestra realiza seu trabalho com públicos de diferentes faixas etárias, classes sociais e realidades culturais, que normalmente não acessam esse estilo musical. Como forma de expressar e materializar essas transformações e ao mesmo tempo valorizar o projeto pelo que o distingue, a ONG mudou de nome, tornou-se Orquestra Jovem Gerais.

O nome Orquestra Jovem Gerais representa um olhar para dentro, para o sertão que está no interior de Minas, e dentro de seus habitantes; mas também para o sertão de suas grandes cidades – como é Contagem – sertão das favelas, dos morros, das vilas e aglomerados. A Orquestra Jovem Gerais representa a importância do acesso democrático à arte e reconhece sua capacidade de unir os públicos mais diversos. É uma maneira de mostrar ao mundo o que a Cultura Mineira tem, sobretudo, através de ações que promovam a inclusão social, o combate à pobreza e os direitos da infância e da juventude.

Missão

Promover a inclusão social por meio da música, oferecendo oficinas de instrumentos de cordas e sopros para crianças e adolescentes de áreas de vulnerabilidade social da região metropolitana de Belo Horizonte, MG.

Visão

Ampliar a atuação da organização para cidades da região central de Minas Gerais, de maneira sustentável.

Valores

Ética
Inovação
Sustentabilidade
Espírito jovem
Comprometimento
Paixão pela música
Coletividade

Turnê Minha Pátria - Dia 07 - Brasília (23)

O dia, 02 de julho de 2018, foi intenso para os músicos da Turnê Minha Pátria. Na parte da manhã, os alunos conheceram os pontos turísticos de Brasília e se encantaram com as particularidades da cidade. Dentre os lugares, estavam o Estádio Nacional de Brasília, famoso Mané Garrincha, o Palácio do Planalto, a Catedral Metropolitana de Brasília, o Congresso Nacional, a Praça dos Três Poderes, Palácio da Justiça, Palácio do Itamaraty, Supremo Tribunal Federal, Palácio da Alvorada e a Ponte JK.

Confira depoimento dos alunos sobre o passeio por Brasília:
“Eu gostei do citytuor hoje porque foi muito legal! Conhecemos vários lugares como o Palácio do Planalto, que todo mundo só fala mal, mas não me falaram que era tão bonito!” Leandro, aluno de violino, participou pela primeira vez da Turnê com a OJG.

“Tive a oportunidade de conhecer a Praça dos Três Poderes e também um pouco do lugar que nossos governantes trabalham.” João Pedro, aluno de trompete.

“Pretendo voltar a Brasília. Apaixonei por tudo aqui, achei bem diferente de Minas.” Karol, aluna de violino.

Turnê Minha Pátria - Dia 07 - Brasília (22)

Turnê Minha Pátria - Dia 07 - Brasília (10)

Turnê Minha Pátria - Dia 07 - Brasília (12)

Turnê Minha Pátria - Dia 07 - Brasília (15)

 

Turnê Minha Pátria - Dia 07 - Brasília (21)

Depois de assistir a vitória do Brasil contra o México na Copa do Mundo, os músicos almoçaram e foram a caminho da Sociedade Cristã Maria e Jesus – Nosso Lar. Com muita emoção em visitar as crianças, eles encerraram o dia com o concerto na Casa Thomas Jefferson.

Turnê Minha Pátria - Dia 07 - Brasília (41)

O concerto de Brasília, na Casa Thomas Jefferson, foi um sucesso. Os músicos e maestro Renato Pedroso interagiram bastante com o público. A maior parte da plateia era formada por jovens, que acompanharam cantando, batendo palmas todas as músicas. Houve um momento em que o Pedroso apresentou cada instrumento e cada naipe tocou um pouco de músicas populares. A noite foi tão envolvente que pediram bis! Ao final, a OJG apresentou Bom do Baião.

Durante o espetáculo, o maestro e diretor da Orquestra Sinfônica de Brasília, Thiago Francis, participou da apresentação regendo os alunos da OJG na música Mourão, de César Guerra-Peixe. O profissionalismo do maestro despertou admiração dos jovens músicos.

“Foi muito bom! A gente apresentou os instrumentos pra eles e cada naipe tocou uma música específica. O público todo cantou as músicas com a gente. Eles batiam palmas, riam… foi muito bom mesmo!” Luisa, aluna de violino.

“O concerto foi maravilhoso! O público interagiu super bem com a gente. O maestro que regeu a gente na música Mourão é top e elogiou bastante a Orquestra. Foi uma das melhores apresentações que eu já participei.” disse Diego, violinista da OJG.

“O concerto foi a melhor experiência como músico que eu já tive. Todo mundo dançando, sorrindo e demonstrando muita felicidade. Foi uma apresentação fantástica! Fora de série.” Lucas, aluno de violoncelo.

Turnê Minha Pátria - Dia 07 - Brasília (58)

Turnê Minha Pátria - Dia 07 - Brasília (5)

Turnê Minha Pátria - Dia 07 - Brasília (72)

A Turnê chegou ao fim e, felizmente, com todas as missões cumpridas! Amanhã, 03 de julho, os alunos voltam para casa. Muito obrigada a todos que ajudaram e acreditam na Orquestra Jovem Gerais.

A realização da Turnê Minha Pátria só é possível pela patrocínio e apoio de Ibiritermo, Supermix, Copasa, Governo de Minas Gerais, ArcelorMittal, Belgo Bekaert Arames, Tambasa Atacadista, Patrus Transportes, Via Jap, Puc Minas, C.M.D.C.A.C, Ministério da Cultura e Orquestra Filarmônica de Brasília.
Veja mais fotos da Turnê Minha Pátria no Instagram e Facebook.

Turnê Minha Pátria - Dia 06 - Goiâniia e Brasília (30)

Os últimos momentos em Goiânia renderam muitas experiências. Os alunos fizeram um citytuor na capital de Goiás e visitaram o Parque Flamboyant, Estádio Serra Dourada, Praça Cívica, Zoológico, Igreja Nossa Senhora de Fátima e Estação Goiânia, o Museu Goiano Zoroastro Artiaga e adoraram tudo o que viram.

O local que mais marcou os músicos foi o museu. Lá, eles encontraram obras sobre a história da terra, formação geopolítica de Goiás, fósseis, pré-história, a paisagem natural com uma coleção de taxidermia, arqueologia e mineração colonial, e outros aspectos de ocupação e transformação do território goiano. A etnologia indígena, navegação do Araguaia, arte sacra, folclore, a imprensa goiana, cinema e fotografia, mineralogia, artes industriais; e as salas especiais: sala dos governadores, casa caipira, galeria de arte popular e Sala Zoroastro Artiaga. Conheça mais do Museu aqui.

“Eu adorei o citytour! O que eu mais gostei foi o Museu Goiano. Vi peças da antiguidade indígena e muitas pedras preciosas… Fiquei em êxtase no tanto que elas eram lindas.” Guilia, aluna de viola clássica.

“O citytour foi bem legal. Eu gostei do Museu também. Lá eu vi coisas da cultura indígena que eu nem imaginava e pude conhecer umas pedras preciosas que eu nunca tinha visto na vida!” Samara, aluna de flauta transversal.

Para Lucas, aluno de violoncelo, muito dos objetos e histórias que estão no Museu Goiano não foram novidade. Nascido em um família que cultivou a tradição do interior de Minas Gerais, ele cresceu e vivenciou bastante tradições como o congado e lampareiros.

“Eu e minha família acompanhamos durante vários anos da minha vida a cultura mineira. Eu sou de Oliveira (MG) e eu sempre tive muito contato com esse tipo de cultura.” contou.

Os alunos aproveitaram o cenário para fazer um vídeo no estilo Mannequin Challenge e ficou sensacional!

Assista aqui.

Turnê Minha Pátria - Dia 06 - Goiâniia e Brasília (59)

Turnê Minha Pátria - Dia 06 - Goiâniia e Brasília (25)

Turnê Minha Pátria - Dia 06 - Goiâniia e Brasília (41)

 

Turnê Minha Pátria - Dia 06 - Goiâniia e Brasília (39)

Turnê Minha Pátria - Dia 06 - Goiâniia e Brasília (20)

Turnê Minha Pátria - Dia 06 - Goiâniia e Brasília (24)

Turnê Minha Pátria - Dia 06 - Goiâniia e Brasília (56)

Ainda na expectativa de conhecer Brasília, os músicos estão divididos na vontade de conhecer o Planalto Central e o Estádio de Futebol Mané Garrincha. Gustavo, oboísta da OJG é um desses. “Quero muito o conhecer o estádio Mané Garrincha, porque eu já conheço um pouco da história e gosto muito de futebol.” Disse.

A realização da Turnê Minha Pátria só é possível pela patrocínio e apoio de Ibiritermo, Supermix, Copasa, Governo de Minas Gerais, ArcelorMittal, Belgo Bekaert Arames, Tambasa Atacadista, Patrus Transportes, Via Jap, Puc Minas, C.M.D.C.A.C, Ministério da Cultura e Orquestra Filarmônica de Brasília.

Acompanhe a Turnê Minha Pátria pelo Instagram e Facebook.

Turnê Minha Pátria - Dia 05 - Goiânia (23)

Os alunos participantes da Turnê Minha Pátria vivenciam como é o trabalho de um músico “na estrada”. A maioria dos alunos que viajam pela primeira vez sentem a diferença de quando viajam com a família, pois é preciso independência, disciplina e organização quando se viaja em grupo. Além da questão individual, outro aspecto a ser considerado é a união e fortalecimento de laços com os amigos. A Aline, aluna de violino, contou sobre sua primeira participação nas turnês da OJG.

“A turnê está sendo super interessante pra mim. Estou tendo mais contato com as pessoas que eu não tinha e gostando de conhecer tantos lugares legais e diferentes.” disse.

Dando continuidade ao cronograma de atividades da Turnê Minha Pátria, hoje, 30 de junho de 2018, os alunos da OJG passaram o dia no Hot Park de Goiânia. O parque aquático com água naturalmente aquecidas injetou adrenalina nos músicos. Empolgados para aproveitar bastante todos os tobogãs e brinquedos aquáticos, os músicos desfrutaram de cada minuto no parque. Confira alguns depoimentos:

“Gostei muito e me diverti bastante! Eu fui nos toboáguas várias vezes. Espero, de verdade, voltar aqui!” Lívia, aluna de violoncelo

“Minha experiência no Hot Park foi sensacional! Teve muita adrenalina. Foi bem “louco” as águas quentes. O meu grupo foi o melhor, como sempre.” Disse sorrindo a violista Rafaela, se referindo às divisões que a Orquestra Jovem Gerais realiza para organizar e administrar onde estão os alunos em lugares mais amplos.

“Eu nunca tinha ido em um parque aquático tão grande e ido em brinquedos bem legais que fazem a adrenalina subir muito! A parte que eu mais gostei foi ir no “Xperado”, que tinha o tema de piranhas do Paraguai. Era um tobogã muito alto.” disse a violinista Luana, animada com o dia no parque.

Turnê Minha Pátria - Dia 05 - Goiânia (26)

Turnê Minha Pátria - Dia 05 - Goiânia (1)

Turnê Minha Pátria - Dia 05 - Goiânia (3)

Turnê Minha Pátria - Dia 05 - Goiânia (28)

Turnê Minha Pátria - Dia 05 - Goiânia (18)

Turnê Minha Pátria - Dia 05 - Goiânia (29)

Turnê Minha Pátria - Dia 05 - Goiânia (30)

Amanhã, 01 de julho, é dia de ir para Brasília para novas descobertas e mais uma, e última apresentação da Turnê Minha Pátria. Ansiosa para conhecer a cidade planejada por JK, a aluna de violino Luisa, falou suas opiniões a respeito da capital federal.

“Acho que Brasília é uma cidade bonita e que tem muitas pessoas ricas. Talvez a gente veja alguns políticos, pessoas engravatadas nas ruas. Lá também deve ser muito fácil aprender a dirigir, porque não tem morro.” Contou.

A realização da Turnê Minha Pátria só é possível pela patrocínio e apoio de Ibiritermo, Supermix, Copasa, Governo de Minas Gerais, ArcelorMittal, Belgo Bekaert Arames, Tambasa Atacadista, Patrus Transportes, Via Jap, Puc Minas, C.M.D.C.A.C, Ministério da Cultura e Orquestra Filarmônica de Brasília.

Acompanhe a Turnê Minha Pátria pelo Instagram e Facebook.

Agenda

<< Jul 2018 >>
DSTQQSS
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31 1 2 3 4
Não há eventos.